A fisioterapia em pacientes com Alzheimer

A doença de Alzheimer é neurodegenerativa, que em grande maioria, atinge pessoas de 60 anos. Mas pode apresentar os primeiros sintomas na faixa etária dos 35. O principal indício dessa síndrome é a perda de memória recente. O paciente pode recordar de momentos que aconteceram na sua história de vida, mas não consegue lembrar-se de situações que ocorreram no dia a dia.

A pessoa que desenvolve Alzheimer acaba tendo alterações de comportamento, de memória e pensamento. Além de ter dificuldades em aprender coisas novas, apresenta problemas de atenção, demonstra confusão com a fala e com a orientação e compreensão. Dependendo do estágio da doença, o paciente pode sofrer de incontinência urinária e fecal, causando um comportamento inadequado. Se a Alzheimer estiver em um nível avançado, o doente pode apresentar prejuízo motor, que interfere na capacidade de locomoção, sendo preciso a ajuda para caminhar.

Os tratamentos para a doença de Alzheimer são diversos, sendo os principais farmacológicos e atividades que estimulam a capacidade cognitiva, física e social. Uma das indicações importantes é a fisioterapia, que auxilia o paciente a ter uma qualidade de vida muito melhor. Os benefícios que ela traz são de melhora tanto psicológica como física, ajudando o paciente a movimentar-se mais livre, evitando que os músculos fiquem presos, melhorando na coordenação, equilíbrio e flexibilidade, que acaba atrasando na evolução da doença. Em pacientes de estado avançado, são recomendados aparelhos que ajude o indivíduo a alongar, para impedir que os músculos e articulações fiquem atrofiados.

A Central da Fisioterapia realiza atendimento a domicílio em diversos pacientes que sofrem de Alzheimer. Solicite atendimento ou se precisar de mais informações sobre Fisioterapia ou sobre a Central da Fisioterapia, entre em contato conosco, será um prazer atendê-lo!