Arritmia cardíaca: cuidados ao praticar exercícios

Palpitações, batimento cardíaco irregular, aceleração cardíaca ou sensação de esmagamento são os principais sintomas de arritmia cardíaca, que ocorre devido a uma alteração do sistema elétrico do coração, fazendo com que as contrações musculares fiquem de forma desordenada. Além disso, a arritmia cardíaca pode causar angina (dor no peito), insuficiência cardíaca, infarto e AVC. Segundo dados da Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas (SOBRAC), cerca de 40 milhões de brasileiros convivem com esse problema.

O melhor remédio para controlar a arritmia cardíaca é a prática diária de exercícios físicos, mas as atividades devem ser moderadas e de baixa intensidade. Para poder começar os treinos, o primeiro passo é realizar uma avaliação com algum médico especialista, como o cardiologista, que pede uma série de exames para verificar o coração, a fim de examinar o batimento cardíaco do paciente e ver se há alguma arritmia silenciosa, como a Síndrome de Brugada e a Síndrome do QT longo.

O tempo, frequência e intensidade dos exercícios físicos dependem, primeiramente, do diagnóstico de riscos do individuo. Se a arritmia for de baixo risco, a prática das atividades podem ser realizadas sem restrições. Pessoas com arritmia de riscos um pouco maior necessitam de recomendação médica para realizar as atividades mais leves, como caminhada com duração de 20 a 40 minutos que pode ser feita três ou quatro vezes por semana.

Dor torácica, vertigem, palpitações, coração acelerado, palidez, sudorese excessiva e batidas do coração fora do ritmo são sinais que podem aparecer durante os exercícios físicos em pessoas que possuem arritmia cardíaca. Caso esses sintomas se manifestem, as atividades devem ser interrompidas imediatamente e a procura por um médico deve ser de extrema importância.

O acompanhamento de fisioterapeuta ou educador físico é fundamental, isso porque o profissional auxilia no tipo de atividade que pode ser praticada pelo paciente, visando o seu conforto e evitando os riscos à saúde.

Ao final das atividades, o recomendado é descansar. Nos últimos minutos do treino, a pessoa deve diminuir a intensidade e frequência dos exercícios, já que isso ajuda o coração a voltar ao seu batimento normal.

A Central da Fisioterapia realiza atendimento domiciliar em pacientes que precisam de um fisioterapeuta, sem que seja necessário deslocar-se até uma clínica, evitando gastos de recursos financeiros e situações desconfortantes. Conheça nossos serviços e agende já a sua consulta através da nossa central de atendimento 24 horas, será um prazer atende-lo!