Hidroterapia ajuda em recuperação

A Hidroterapia se apoia em conceitos fisioterapêuticos para tratar pessoas com problemas respiratórios e físicos. Questões relacionadas à reumatologia e neurologia também podem ser tratadas por meio dessa técnica. Para pessoas com baixo movimento corporal, as melhoras podem ocorrer em algumas sessões, mas, antes de sua prática, um Fisioterapeuta deve ser consultado, pois nem todo mundo pode realizá-la, por questões médicas.

Pacientes que tenham passado por cirurgia ortopédica, especialmente de quadril e joelhos, e quem sofre de dores na coluna são indicados para esse tratamento com a finalidade de acelerar a recuperação muscular e na redução de dores localizadas. Entretanto, mesmo com o fim das sessões, o recomendável é que atividades físicas orientadas sejam realizadas com frequência.

As atividades empregadas pela Hidroterapia podem ser realizadas por meio de bolas, jogos, brinquedos e música. A água, por sua vez, é capaz de resolver, inclusive, problemas respiratórios, visto que fortalece o sistema muscular responsável por essa função, resultando na melhora da capacidade pulmonar.

No entanto, há algumas restrições. O paciente, por exemplo, não pode estar com hipertensão arterial, doenças do coração e diabetes melittus não controlados, uma vez que os esforços podem agravar a situação do indivíduo em função do esforço dentro da água. Além desse perfil clínico, pessoas com lesões de pele infectadas e infecções urinárias são afastadas até que tenham melhorado.

Segue abaixo as principais indicações da Hidroterapia:

  • Músculo-esqueléticas: voltadas para dores de coluna, quadril e joelhos.
  • Neurológicas: adultos que sofreram AVC/ AVE
  • Reumatológicas: problemas como artrose e artrites
  • Crianças: indicadas para crianças que possuam um atraso no desenvolvimento motor
  • Idosos: indicada para idosos que sofram com doenças que acometem o equilíbrio corporal
  • Gestantes: busca diminuir os desconfortos típicos da gestação, como dores lombares