Em coma, Michael Schumacher está em estado crítico de saúde

O ex-piloto de Fórmula 1 Michael Schumacher sofreu um grave acidente de esqui na manhã desse domingo (29), nos Alpes Franceses.

Segundo o diretor da estação de esqui Christophe Gernignon-Lecomte, o alemão estava esquiando na estação onde tem um chalé e se acidentou fora da pista ao bater a cabeça em uma rocha. O acidente aconteceu às 11h07 no horário local (08h07, no horário de Brasília), o resgate chegou às 11h15 e o levou ao hospital da cidade mais próxima Moûtiers, de helicóptero. O diretor ainda afirmou que ele usava um capacete no momento do impacto, estava consciente, mas muito confuso e agitado. Por aspirar cuidados, o piloto foi transportado para o Hospital Universitário de Grenole às 12h45 (09h45, no horário de Brasília).

O Hospital Universitário soltou um comunicado informando que o heptacampeão mundial chegou com um traumatismo craniano grave, em coma e precisou passar por uma cirurgia imediatamente. 

O ex-piloto francês Olivier Panis tentou visita-lo, mas não conseguiu.

- Voltarei amanhã. Sim, estou preocupado – disse Panis a uma televisão local.

As atualizações sobre a gravidade do estado de saúde do veterano de 44 anos foram dadas por volta das 8h (horário de Brasília), desta Segunda. O médico Jean-François Payen declarou que Schumacher está em uma situação crítica e sua vida corre risco, e completou: "O capacete não ofereceu uma proteção total, mas realmente ajudou. Se não o estivesse usando, ele não estaria aqui agora. Por enquanto, acreditamos que ele não vai precisar de uma nova operação".

Schumacher continuará em coma induzido para evitar atividades externas que possam afetar a neurocirurgia. Os médicos evitaram falar sobre possíveis sequelas.

 Schumacher é experiente esquiador - na foto, aparece esquiando em janeiro deste ano

A fisioterapia motora já está sendo realizada na UTI através de alongamentos e exercícios para manter o movimento ideal das articulações. A fisioterapia respiratória vai ampliar a oxigenação do cérebro e evitar a produção de secreções nos pulmões, para que não cause uma infecção. Paciência e dedicação são essenciais entre ambas as partes, fisioterapeuta e paciente, assim como o apoio da família.  

Agradecemos pela leitura!

Atenciosamente,

Equipe Central da Fisioterapia