31/05 Dia Mundial sem Tabaco

A Organização Mundial de Saúde (OMS) destacou que a principal causa de morte evitável no mundo é o tabagismo, obtendo o óbito anual de mais de 6 milhões de pessoas. De acordo com o estudo, estima-se que um terço da população, cerca de 2 bilhões, sejam fumantes. Em suma, podemos dizer que o tabaco é o único produto de consumo legal que mata até metade de seus usuários, mesmo com o fabricante usando metas de prevenção na embalagem.

Além de trazer mudanças físicas, o fumante desenvolve problemas psicológicos e respiratórios. O cigarro pode causar neoplastia maligna no pulmão, esôfago, estômago, boca e até bexiga. Quando a pessoa decide parar de fumar, há indícios de que ela sofra com ansiedade, nervosismo e depressão, que na maioria dos casos, acaba levando o paciente para a obesidade.

“Todo fumante desenvolve enfisema pulmonar e tem mais propensão à pneumonia e bronquite. Com o uso contínuo do tabaco, pode-se desenvolver uma debilitação dos músculos e ter insuficiência respiratória por falta de oxigenação, que na maioria dos casos, pode causar até um infarto”, enfatiza o coordenador da Central da Fisioterapia, o Dr. Rodrigo Peres.

O que poucos sabem, é que existem métodos de ajuda eficazes que controlam a suspensão do tabaco e auxilia o paciente a ter uma vida mais saudável, além de melhorar a disfunção que a pessoa desenvolveu no tempo em que fumava.

Um destes métodos é a Fisioterapia Respiratória, que visa oferecer o melhor tratamento para comportamento funcional, cuidando de exercícios respiratórios, drenagem postural de todos os segmentos pulmonares, exercícios de tosse, técnicas de percussão torácica e práticas de exercícios destinados à atividade física com a respiração. Todos estes tratamentos têm como objetivo acalmar a ansiedade de voltar ao cigarro e de melhorar a qualidade de vida do paciente. “A fisioterapia tem como objetivo auxiliar o paciente estabelecendo a reeducação respiratória, manobras de higienização brônquica e fazendo uma reexpansão pulmonar. Em pacientes que foram internados é necessário uso de aparelhos específicos para auxiliar a respiração”, conclui o Dr. Rodrigo Peres.

Para maiores informações ou busca de tratamento, consulte um fisioterapeuta, entrando em contato com o atendimento da Central da Fisioterapia, disponível 24 horas, e agende o melhor dia e horário da sessão.