Dia do fisioterapeuta

O mês de outubro é o momento dedicado exclusivamente ao profissional da fisioterapia. No dia 13 de outubro de 1969 foi determinado por Decreto Lei como ficariam definidas as atividades do fisioterapeuta, que estão relacionados ao desenvolvimento e a conservação da capacidade física de um paciente. Além disso, passou a ser reconhecido como um profissional de nível superior. Anos depois foi aprovada lei federal que determinaria os direitos e deveres daqueles que atuassem na área, por meio do Concelho Federal de Fisioterapia e Terapeuta Ocupacional (COFFITO).

A Fisioterapia ocupa um papel importante para o tratamento de disfunções de órgãos e sistemas do corpo humano em todas as possíveis potencialidades determinadas pelo órgão regulador, que é o COFFITO. Com isso, o profissional atua na prevenção, cura ou reabilitação da capacidade física das pessoas. Não há limites, portanto, no quadro de idades dos possíveis pacientes que podem ser tratados por fisioterapeutas, indo desde bebês a idosos.

 

Diferenças entre Fisioterapeuta e Terapeuta ocupacional 

O COFFITO fica responsável pela fisioterapia e pela terapia ocupacional. Entretanto, muitas pessoas desconhecem as diferenças entre um e o outro, mas existem. Há situações, porém, em que ambos atuam juntos se complementando, para a melhor recuperação do paciente, dependendo do quadro clínico.

A Fisioterapia trabalha para o bom funcionamento do corpo humano. Desse modo, pessoas que estão com as funções básicas de respiração alteradas, ou com problemas mais complexos envolvendo a área neurológica são alguns dos pacientes desse profissional, que muitas vezes atua na diminuição dos sintomas, até, dependendo do quadro clínico, possibilitando a cura.

O Terapeuta Ocupacional se dedica a atividade humana, ou seja, é ele quem fica responsável pelo planejamento e a organização das tarefas cotidianas do indivíduo em questão, a fim que de este tenha uma melhor qualidade de vida, tanto em casa quanto em outros lugares.

As atividades mais simples realizadas por uma pessoa que necessita do terapeuta são reformuladas para que ela consiga se adaptar à nova condição. Sendo assim, é o terapeuta que se preocupa com a melhor maneira do paciente fazer tarefas como escovar os dentes ou como se alimentar, caminhar, subir e descer escadas, até as coisas mais difíceis como dirigir automóvel, por exemplo.

 

Símbolo da Fisioterapia 

Em 2002 ficou definido o símbolo da fisioterapia tal como é hoje. A imagem que fica no braço direito do jaleco do profissional de fisioterapia é um raio com duas serpentes entrelaçadas em espiral.

Na medicina a serpente representa o poder, a ciência, a sabedoria e a transmissão do conhecimento compreendido de forma sábia. O réptil também está relacionado à atenção, habilidade essa necessária para tratar as mais variadas patologias existentes. Desse modo, a serpente é um símbolo que acompanha todas as divindades médicas.

Tratando-se da fisioterapia, que conta com duas serpentes, que ficam uma do lado direito e outra do esquerdo, há um aspecto simbólico com o diurno e o noturno, o benéfico e o maléfico, simbolizando o equilíbrio das tendências contrárias em torno do eixo do mundo.

 

Central da Fisioterapia 

A Central da Fisioterapia realiza tratamentos em domicílio com a finalidade de preservar o conforto dos pacientes. O Fisioterapeuta Rodrigo Peres fica responsável pela Central, que também conta com outros profissionais da fisioterapia com especializações nas mais diversas áreas. A criação da Central da Fisioterapia ocorreu no dia 13 de julho de 2011. Desde então são atendidas pessoas na capital e grande São Paulo. As áreas de atuação de nossos profissionais são na fisioterapia respiratória, ortopédica, geriátrica, neurológica, entre outras. Para mais informações sobre nossos serviços em domicílio entre em contato conosco. Será um prazer atendê-lo.