Dica de controle de hábitos para tratar a incontinência urinária

A incontinência urinária atinge cerca de 10 milhões de brasileiros de todas as idades, portanto, não é um processo natural do envelhecimento, como muitos acreditam. Os tratamentos da doença vão de controle de hábitos até sessões de fisioterapia.

Existem quatro tipos de incontinência: a de esforço, que ocorre quando a pessoa não tem força muscular pélvica suficiente; a de urgência, que é a perda de urina sem razão aparente; a funcional, que ocorre quando a pessoa não pode urinar por causa de alguma doença; e a de transbordamento, que ocorre quando a bexiga enche muito e com muita frequência, ocorrendo vazamentos.

• Ir ao banheiro em horários programados ajuda a regular a incontinência de urgência. O ideal é estabelecer horários, mesmo que não esteja com vontade, e aumentar o espaçamento conforme o problema for diminuindo.

• Consumir fibras regula o trânsito intestinal como um todo, portanto, quando é equilibrado com o consumo de água, contribui para melhorar o controle.

• Evitar excesso de álcool, pois relaxa a musculatura pélvica; e cafeina, pois provoca irritações na bexiga e na uretra, o que aumenta a necessidade de urinar.

• O tabagismo aumenta a incidência de fraqueza urinária e causa a tosse crônica, que provoca pressões abdominais no períneo.

• Excesso de peso aumenta a pressão sobre a bexiga e o assoalho pélvico, o que pode causar a incontinência.

Central da Fisioterapia realiza atendimento em diversos casos de incontinência urinária. Solicite atendimento ou se precisar de mais informações sobre Fisioterapia ou sobre a Central da Fisioterapia, entre em contato conosco. Agende uma pré-avaliação via telefone. Será um prazer atendê-lo!