Autor da nova novela das 9, Em Família, Manoel Carlos vai abordar o Mal de Parkinson

Em sua nova obra, a novela “Em Família”, o autor Manoel Carlos abordará uma doença comum, principalmente em idosos, mas pouco discutida: O Mal de Parkinson.

O personagem Benjamin terá Mal de Parkinson e será interpretado pelo ator Paulo José, 76 anos. A discussão proposta pelo autor será de mostrar o dia a dia de um indivíduo com Parkinson, além dos cuidados que este deve receber.

Ao ser perguntado sobre a ideia de levar o Mal de Parkinson à novela das 21h, o ator e diretor contou que achou uma boa ideia trabalhar a questão. Ele terá toda a liberdade de improvisar nas cenas, espera passar para o público a realidade de um portador da doença.

Na vida real, Paulo José convive com o Mal de Parkinson há mais de 20 anos, em entrevista ao “Estado” falou como passa pelo tratamento da doença. Segundo ele, faz sessões de fisioterapia duas vezes ao dia, fonoaudiologia às quintas, aulas de voz três vezes na semana, toca piano como forma de exercitar as mãos, além de terapia corporal às terças. E completa dizendo que toma muitos remédios, cinco vezes ao dia. Dentre os sintomas da doença, o cansaço deixa o ator com uma voz fraca, para fortificá-la, faz exercícios de relaxamento todos os dias. 

Paulo José ainda faz aula de canto, grava poemas em um estúdio que mantém em casa e dedica uma parte de seu tempo a escrever. Por sempre lhe perguntarem à respeito de como lida com a doença, resolveu escrever um depoimento relatando esses 20 anos de sua vida. “Isso tudo faz parte da minha luta diária para manter o Parkinson como um coadjuvante – um coadjuvante de peso –, mas nunca um protagonista.”

Ainda não foi descoberta a causa do Mal de Parkinson, com isso, os tratamentos através de medicamentos específicos, fisioterapia e fonoaudiologia, impedem que a doença evolua. O papel da fisioterapia é proporcionar ao paciente uma melhora física, a partir do objetivo de restaurar e manter as funções e incentivar a realização das atividades diárias com mais independência e qualidade de vida. Além do profissional fisioterapeuta, que deverá estar presente por toda a vida do Parkinsoniano, é muito importante a participação da família no tratamento, assim o paciente vai se sentir mais estimulado e com mais vontade de realizar os exercícios necessários. 

Saiba mais sobre o Mal de Parkinson e o tratamento realizado pela Central da Fisioterapia.