As dores lombares podem ser combatidas com Osteopatia

Todos os meses as mulheres passam por mudanças no organismo por conta da fase menstrual. Há alterações hormonais que estão relacionadas aos ovários e útero. Essas transformações podem resultar em mudanças teciduais, distensão da parede uterina etc. Entretanto, seus sintomas podem variar de uma mulher para outra. As queixas mais frequentes, por sua vez, são as dores em membros inferiores ligados ao período menstrual e lombalgia.

As causas para tais enfermidades ocorrem por conta da distensão uterina e retração dos ligamentos que ligam o órgão à cintura pélvica, segundo especialistas. Tratamentos osteopáticos podem reduzir  ou até eliminar, em alguns casos, os incomodos. Esse procedimento terapêutico é indicada em diversos casos, sendo excluídos em situações mais graves.

Além das diminuições de dores lombares, outros sintomas de melhora podem ser sentidos. Alguns deles são as diminuições de edemas, ausência de dor durante a relação sexual e menor retenção de líquidos.

A técnica foi criada no século 19, nos EUA. A Osteopatia consiste na estimulação manual dos tecidos tais como articulações, músculos, tendões, fáscias, ligamentos, cápsulas, vísceras, tecido nervoso, vascular e linfático. Além disso, estão incluídos nesse método reabilitação que consiste em massagens e outros exercícios.

Diferentemente dos tratamentos medicamentosos, que podem causar efeitos colaterais, às vezes irreversíveis, esse procedimento fisioterapêutico, que é a Osteopatia, estimula o processo de cura natural, aumentando a capacidade de recuperação do organismo por meio de defesas do próprio corpo.